Quem paga mais IUC? O carro importado ou nacional?

É mesmo verdade que um carro importado paga mais IUC que um carro nacional?

Quem paga mais IUC? O carro importado ou nacional?

Quem paga mais IUC? O carro importado ou nacional? É mesmo verdade que um carro importado paga mais IUC que um carro nacional?

Se comprou recentemente um automóvel importado ou está para comprar, estas são apenas algumas das questões de já deve ter colocado a si mesmo. Será mesmo que um carro importado paga mais IUC que um carro nacional?

A resposta é, não. Um veículo automóvel importado não paga mais IUC que um nacional. No entanto, por falta de conhecimento do público em geral generalizou-se a ideia de que os automóveis importados pagam mais IUC.

Porque é que isso aconteceu?

Isto aconteceu por duas razões. A primeira é o facto de dar jeito aos importadores oficiais de automóveis, que vendem os “carros nacionais”. Estes, criaram este estigma e assim defender a ideia que o carro nacional paga menos IUC.

A segunda é precisamente a falta de conhecimento de muitos consumidores e a confusão que a Lei n.º 22-A/2007 de 29 de Junho veio criar junto destes.

Para a grande maioria dos consumidores, um carro importado pada mais IUC que um carro nacional. Isto porque, muitos não sabem que a partir de 1 de Julho de 2007 todos os automóveis passaram a pagar o novo IUC. Sejam eles nacionais ou importados.

Explicando melhor

Para efeitos de IUC, o que vale é a data em que o veículo é matriculado em Portugal, seja o veículo nacional ou importado.

Agora para que se perceba a confusão que o leitor faz vamos dar o seguinte exemplo:

Imagine que importou hoje, 26 de Dezembro de 2017, um automóvel e que o seu ano de matrícula no seu país de origem, por exemplo Alemanha, é de 2005. Ao fazer o pedido de matrícula cá, Portugal, esse carro vai receber uma matrícula igual à de um carro de Dezembro de 2017, ou seja, de um carro novo.

Assim, se compararmos este carro de 2005 importado e matriculado em Portugal em 2017, com um carro nacional de 2005, percebemos que o carro importado paga mais de IUC que o carro nacional. Isto porque, a Lei n.º 22-A/2007, só atualizou os IUC’s dos carros matriculados em Portugal depois de 1 de Julho de 2007.

Exemplo 1

Se utilizarmos um Renault Clio 1.5 dCi como exemplo constatamos que em 2005 pagava cerca de 25€ de IUC. Já o mesmo carro importado e matriculado em Portugal depois de 1 de Julho de 2007 paga 130€.

Neste exemplo que demos, contrariamos o que dissemos no início deste artigo. Mas, o que pretendemos é explicar onde reside a dúvida do leitor.

Vamos então dar um exemplo onde explicamos que um carro importado não paga um IUC mais caro que um carro nacional.

Exemplo 2

Vamos utilizar o mesmo Renault Clio 1.5 dCi como exemplo. Só que agora o carro que vamos importar hoje, 26 de Dezembro de 2017, tem como ano de matrícula no seu país de origem, por exemplo Alemanha, 2008.

Neste caso temos um carro que é de 2008 e que entra em Portugal em 2017 e vai receber uma matrícula posterior a 1 de Julho de 2007.

Assim, este carro vai pagar o mesmo IUC que um carro nacional de 2008. Ou seja, o carro importado paga 130€ e o nacional paga o mesmo.

Agora como é que é feito cálculo do novo IUC?

O cálculo do novo incide em duas variáveis, a cilindrada e as emissões de CO2. Esta última, é a responsável por carros com a mesma cilindrada poderem pagar IUC’s diferentes. Pode até parecer complicado mas não é. Para perceber, vou utilizar como exemplo um motor de 1500 cc de cilindrada. Podem existir carros em que a cilindrada é a mesma. Isto é, 1500 cc, mas as emissões de CO2 são diferentes, ou seja, uns têm níveis de emissão de CO2 mais elevados que outros. Por essa razão pagam mais de imposto do que os que têm níveis de emissão de CO2 mais baixos.

Esta nova forma de cálculo privilegia os carros menos poluentes.

Espero ter ajudado com este meu artigo. Mas, se precisar de alguma ajuda, por favor deixe aqui o seu comentário.

Não se esqueça de partilhar o Automoveis-Online com o seu circulo de amigos. Faça gosto na nossa página de fás no Facebook.