Aço falsificado coloca dúvidas à segurança de automóveis

Milhões de carros em todo o mundo poderão ter a sua segurança em risco por via do uso de aço falsificado

Aço falsificado coloca dúvidas à segurança de automóveis

Aço falsificado coloca dúvidas à segurança de automóveis. Milhões de carros em todo o mundo poderão ter a sua segurança em risco por via do uso de aço falsificado.

Indústria automóvel do Japão em sérios problemas. Depois da Takata, que levou mesmo á falência da marca japonesa. Da fraude das emissões de gases pela WV. Agora é a Kobe Steel que é só a terceira maior siderúrgica japonesa que se encontra a produzir aço falsificado.

A Kobe Steel conta com 112 anos de história e é a empresa que fornece metais para os gigantes da indústria automóvel, aeronáutica e naval.

Veio-se agora a descobrir que a Kobe Steel tem estado a falsificar cobre, alumínio e aço que produz.

No entanto, a falsificação que esta empresa está a promover não é no metal propriamente dito. Mas sim, na resistência que este deveria ter e na verdade não tem. Ou seja, a Kobe Steel vendia um produto e entregava aos seus clientes um material de qualidade inferior. Sendo que o certificado de garantia de resistência, que era emitido pelo seu departamento de controlo de qualidade, era falso. O mais grave é que esta prática já se pratica há 10 anos e incide em 13 dos seus produtos.

No caso do aço, o metal não atendia normas estabelecidas pelo governo japonês, embora cumprisse os níveis de segurança.

São mais de 500 as empresas que foram afetadas. Entre elas, salientamos algumas das mais conhecidas da indústria automóvel. Como é o caso da Toyota e General Motors, Honda, Daimler-Mercedes, Nissan, Mitsubishi, Subaru, Kawasaki e Mazda.

Os tipos de aços que não podem ter a resistência comprometida Divulgados pela Volvo

Segundo o Automotive News, os metais utilizados pela Kobe Steel podem ter sido empregados em centenas de componentes que se encontram num veículo. Desde o chassis, motor, a cinta metálica da estrutura dos pneumáticos. É mau de mais para ser verdade. O pior é que é mesmo verdade.

O que ainda está por apurar é o impacto e as consequências  directas e indirectas desta fraude. No entanto, tal como aconteceu com os Airbags Takata, os construtores envolvidos estão a investigar os seus veículos no sentido de determinar se estes foram ou não prejudicados na sua qualidade e durabilidade.

Construtores garantem segurança

Toyota, Honda, Nissan, Mazda e Subaru confirmaram a segurança e a durabilidade de carros que usam as folhas de alumínio adulteradas da Kobe. Mas, ainda se encontram a verificar  a segurança e durabilidade relativamente ao aço e outros metais fornecidos pela japonesa.

Tendo em conta a diversificidade da aplicabilidade dos produtos da Kobe no sector, inclusive em áreas que afetam a segurança de consumidores e passageiros, estima-se que estes diagnósticos de controlo de segurança possam vir a demorar e o recall é uma possibilidade.

Consequências imediatas

A Kobe Steel já vê as suas ações caíram quase 40% desde que admitiu a fraude. Enquanto os seus clientes já se encontram a procurar outros fornecedores. A Agência Europeia de Segurança da Aviação (Easa), recomendou que os fabricantes de aviões deixem de usar os materiais da Kobe até que sua legitimidade possa ser comprovada.

Com base nesta fraude, as autoridade reguladores do Japão, recomendam uma inspeção a outras siderurgias para evitar que se estejam a praticar fraudes similares.