Start-up Portuguesa desenvolve pavimento que reduz velocidade

Pavnext é a Start-up que está a desenvolver um pavimento inovador que reduz a velocidade automóvel e promove segurança rodoviária

Start-up Portuguesa desenvolve pavimento que reduz velocidade

Start-up Portuguesa desenvolve pavimento que reduz velocidade. Pavnext é a Start-up que está a desenvolver um pavimento inovador que reduz a velocidade automóvel e promove segurança rodoviária.

É uma start-up e chama-se Pavnext. Integrada no concurso, Arrisca C, esta start-up desenvolve um pavimento que usa a energia cinética dos automóveis para reduzir a velocidade dos mesmos. Esta foi a proposta inovadora da Pavnext para segurança rodoviária e foi a vencedora do Prémio Arrisca C – Plano de Negócio, da anterior edição do concurso Arrisca C, realizado em 2017.

Apesar de ser uma ideia inovadora, não é exclusiva. Isto porque a ideia de construir pavimentos com recurso à reciclagem de plásticos recicláveis não é nova. Em 2015 uma empresa Holandesa desenvolveu o conceito de construir estradas em Plástico.

Estradas em Plástico

Estradas de plástico - Holanda

Se tens um projeto inovador e de amplitude nacional, aproveita e concorre à 10ª edição do Arrisca C. As inscrições terminam a 4 de Novembro de 2018. Vê como concorrer em Arrisca C. Trata-se de um dos mais ambiciosos programas na área do empreendedorismo e inovação a nível nacional.

Características do pavimento

O inovador pavimento desenvolvido pela Pavnext é efectivamente uma proposta pioneira, muito exclusiva e inovadora na área da segurança rodoviária. Este pavimento tem a capacidade de reduzir a velocidade dos veículos de 50 km/h para 30 km/h em zonas urbanas.

O produto proposto pela Pavnext para além de ser inovador e tecnologicamente avançado é também muito ecologista. Isto porque, o pavimento tem uma superfície que é feita de borracha de pneu reciclado e incorpora uma tecnologia que permite absorver a energia cinética captada na superfície. Depois, converte-a em energia elétrica sem emissões associadas.

Adicionalmente, dispõe de um sensor que monitoriza os dados de tráfego e de energia, fornecendo-os diretamente à entidade gestora da infraestrutura (por exemplo, os municípios) e permitindo otimizar o consumo energético do local e tornar a cidade mais eficiente.

Como funciona?

O pavimento socorre-se de uma tecnologia que tem a função de captar a energia cinética dos veículos, transformando-a em eletricidade para iluminação dos próprios locais onde se pretende promover a segurança rodoviária e o abrandamento da velocidade, como na aproximação a passadeiras e junto de escolas, hospitais e zonas residenciais.

Explicação do Eng. Francisco Duarte, percursor do projeto

Francisco Duarte, percursor do projeto, engenheiro eletromecânico e doutorado em Sistemas de Transportes pela Universidade de Coimbra, explica, “A solução é inovadora por promover uma maior segurança rodoviária de forma autónoma. É totalmente independente da ação dos condutores, ao contrário das lombas ou dos semáforos. A probabilidade de uma fatalidade num atropelamento a 50 km/h é superior a 50%. Mas, esta é reduzida para menos de 10% se o veículo circular a 30 km/h. Se tivermos em conta o mercado-alvo de municípios europeu com mais de 150 mil habitantes, estimamos que se possam salvar cerca de 20 mil vidas e 1 milhão de feridos graves por ano”.

Quem compõe a Pavnext?

Da Pavnext fazem parte o Francisco Duarte, CEO; João Champalimaud, CFO e responsável pela parte financeira; Sílvia Soares, CCO na liderança da área da Comunicação e Marketing.

10ª edição ARRISCA C – Cerca de 150 mil euros em prémios para os projetos mais inovadores

A assinalar a sua 10ª edição, o Concurso de Ideias e Planos de Negócio – Arrisca C recebe, até dia 4 de novembro, candidaturas para aquele que é um dos mais ambiciosos programas na área do empreendedorismo e inovação nacional. Com categorias dirigidas a jovens estudantes do Ensino Secundário e Técnico-Profissional, e a jovens do Ensino Superior ou recém-diplomados há menos de cinco anos. Podem concorrer jovens provenientes de qualquer instituição de Ensino Superior do País. Este concurso já apoiou a criação de mais de 25 empresas.