SCOOTER! Cem por cento Eléctrica e cem por cento Portuguesa

SCOOTER! Cem por cento Eléctrica e cem por cento Portuguesa

Está pronta e é 100% eléctrica e 100% portuguesa, estamos a falar da Scooter que foi desenvolvida por investigadores do Instituto de Sistemas e Robótica da Universidade de Coimbra (ISR/UC). Esta Scooter dispõe de uma tecnologia inovadora que permite configurar o sistema da propulsão ao gosto de cada utilizador.

Outras das inovações disponíveis no protótipo é a comunicação entre o grupo propulsor, o controlador (um ‘tablet pc’ com sistema operativo Android), as baterias ou o carregador através de um sistema sem fios (bluetooth).

A coordenadora do projecto Ana Vaz, disse à agência Lusa que a ‘scooter’ foi «pensada e desenvolvida num contexto de utilizador urbano. Todos os principais dispositivos comunicam entre si, permitindo fazer uma gestão inteligente do conjunto».

Assim, este protótipo dispõe de três diferentes modos de utilização, o Eco, Sport e Safety –  «completamente configuráveis» e dispensa o uso da chave, recorrendo a um cartão e sem o qual a moto não funciona. Esta, assim que se insere no sistema de controlo da Scooter, insere também o perfil de cada utilizador.

A coordenadora do projecto Ana Vaz explicou, «Uma família pode ter três ou quatro cartões: os pais podem andar num modo que permita a velocidade máxima e os filhos, com a chave em modo ‘Eco’, podem acelerar ao máximo que a moto não ultrapassa os 60 km/h».

A investigadora admitiu que a equipa que lidera «não foi regrada» ao construir o protótipo em termos de custos, nem ele foi pensado, à partida, como modelo de negócio.

Em termos de preço, Ana Vaz referiu que embora o projecto não considerou os custos, enquanto modelo de negócio, «Mas, como protótipo, tem um preço excepcional, equivalente ao preço de entrada de gama de uma ‘maxi scooter’ de 200 ou 400 cm3 de cilindrada», com preços que «rondam os 5 mil euros», frisou.

Quanto a potência, Ana Vaz, disse que o protótipo desenvolve uma potência de 13,6cv numa utilização normal, podendo atingir picos de 28cv em utilização «mais intensa».

Em termos de autonomia, esta Scooter com a bateria completa, a autonomia varia entre os 70 km «em utilização mais aguerrida, com muitas subidas e descidas e os 140 km em utilização económica», segundo Ana Vaz.