Importação Automóvel! Sabe como importar um carro?

Importação Automóvel! Sabe como importar um carro?

Se vai comprar um carro usado, semi-novo ou mesmo novo, certamente que já se questionou se deve comprar cá ou importar directamente. No sentido contrário ao que tinha sido decretado para a importação de automóveis usados que prejudicava os players deste segmento de mercado, o ano de 2011 permitiu novamente a entrada de carros usados importados mais baratos. A redução que o comprador tem em média com a compra de carros importados é de 15% para carros usados com 2 a 3 anos e de 25% nos carros com 4 ou 5 anos.

Estas reduções só foram possíveis, com a entrada em vigor do Orçamento de Estado de 2011. O que acontece é que com esta medida (componente ambiental) o Governo travou a importação de carros que vinham da União Europeia e que apresentavam indices de qualidade semelhante a lixo.

Assim, os carros com 4 e 5 anos, onde apresentem níveis de CO2 adequados ao nosso mercado, podem ser bastante vantajoso para o cálculo final do imposto a pagar.

O artigo de hoje explica aos nossos leitores tudo o que têm de saber acerca da importação de automóveis, isto é, todas as dicas para que possa ser você mesmo a importar o seu automóvel.

Mas, muito cuidado!

Existem inúmeros perigos nesta actividade e por esta razão recomendamos que o faça sempre com ajuda de um vendedor nacional. Recorra aos serviços de um stand de carros usados ou mesmo um concessionário ofical, que sejam da sua inteira confiança. Contudo, sabe de ante-mão que vai pagar um pouco mais, mas é muito mais seguro.

Mas, se a sua intenção é fazer a importação directa do seu novo carro usado, semi-novo ou mesmo novo, sem ajuda, então deverá ler com muita atenção as dicas que vamos deixar para si neste artigo.

O leitor tem de ter a noção de que a decisão de importar um automóvel pode ser muito problemática. Pode ser problemático também em protugal, pois, pode ser burlado, mas, se comprar no estrangeiro as suas defesas são bem mais débeis que em portugal.

Como é normal nos negócios, a oportunidade faz o ladrão. Estes, estão sempre à espera de uma falha de quem anda à compra e à procura do “negócio da china”. Ditados como “quando a esmola é muita o pobre desconfia”, são para serem levados em conta. Assim, quando um negócio parece muito bom, desconfie.

Sempre que está no estrangeiro e anda à procura de um veículo usado, utilize a Internet para localizar o seu carro de eleição. Dê especial preferencia aos anúncios colocados por profissionais de carros usados e concessionários oficiais, é mais seguro.

Contudo, seria uma boa opção levar alguém que entenda um pouco mais do assunto, nem que tenha de pagar um pouco mais.

Uma vez no stand, deve solicitar aos vendedores toda a documentação da viatura, veja se o carro e questão já foi de uma empresa e se for, nesse caso evite a compra, existem questões fiscais para as quais não está preparado para analisar. Pergunte pelo livro de inspecções, e revisões.

Igualmente importante é, combinar a forma de pagamento. Nos mercados externos, os vendedores só aceitam pagamentos em dinheiro, mas se for um importador oficial a transferencia bancária também é aceite e é mais segura.

Depois de efectuar o pagamento, o vendedor deverá solicitar o seu BI ou pasaport para efectuar o registo do carro em seu nome. Depois do registo efectuado é solicitada a matricula temporária, também conhecida por matriculas em trânsito, estas têm a validade de 4 semanas. Nºao se esqueça de fazer o seguro obrigatório, mesmo que não venha a circular com o carro. Nunca se esqueça de exigir ao vendedor a factura do bem que comprou, pode ser muito útil no futuro e não estou só a falar no processo de legalização, é uma prova de que o comprou.

Um dos documento muito importantes e que evitam muitos problemas durante o processo de legalização em portugal é o certificado de conformidade. Se o automóvel que está a comprar não o tiver, abandone a compra. Este documento contém dados importantes do veículo como o número da homologação, o nível de CO2, importante para o cálculo do imposto a pagar.

Booking.com