Tudo o que precisa de saber acerca do filtro de partículas

Filtro de partículas para carros diesel. O que é e quais os cuidados a ter

Tudo o que precisa de saber acerca do filtro de partículas para carros diesel. O que é e quais os cuidados a ter?

Quando se fala no filtro de partículas de um veículo, a primeira coisa que associamos a este tipo de filtro, são as questões ambientais. E, em boa verdade, este foi concebido para que as viaturas possam circular e poluir bastante menos que os veículos que não estão equipados com o filtro de partículas.

No entanto, existem questões que estão directamente ligadas ao filtro e que devem ser tidas em conta para que o seu tempo de vida estimado seja maior e os custos de manutenção menores. É importante que saiba que a utilização indevida de uma viatura diesel equipada com este tipo de filtro e a falta de manutenção pode resultar em custos elevados, uma vez que, a substituição do filtro de partículas é elevado.

Uma directiva comunitária da União Europeia determina que todos os veículos fabricados depois de 2009 e que sejam para circular na Europa, são obrigados a estarem equipados com filtro de partículas. Contudo, houve algumas marcas que equiparam os seus veículos, anos antes de ser obrigatório a aplicação de filtro de partículas. Por este motivo, existem alguns veículos anteriores a 2009, que já vêm equipados com filtro de partículas.

Então o que é o Filtro de Partículas?

Filtro de partículas é uma espécie de catalisador, ou seja, um dispositivo que faz parte do sistema de escape e que a sua principal função é a de reter as partículas pesadas das emissões de escape. Normalmente são as partículas mais escuras que ficam retidas nos favos que constituem um filtro de partículas no seu interior. Ao reter essas partículas mais pesadas das emissões resultantes da queima do diesel e outras partículas poluentes, impede que estas sejam expelidas para o ambiente.

A grande maioria destes filtros de partículas, são tão eficientes, que chegam a impedir a emissão dessas partículas para o meio ambiente em cerca de 80% e que por esta razão é a responsável pela diminuição das emissões poluentes dos veículos equipados com motor diesel.

Por questão técnicas, o filtro de partículas, localiza-se normalmente na parte dianteira do sistema de escape.

Como é que funciona o filtro de partículas

A estrutura de um filtro de partículas é semelhante à de uma colmeia em termos de geometria. No seu interior apresenta favos ou pequenos canais desnivelados, todas no mesmo sentido de circulação. Os gases entram por um lado e circulam dentro do filtro, passando pelos favos até saírem na outra ponta. Pelo caminho, as partículas mais pesadas dos gases, vão ficando presas nesses favos.

Como as partículas mais pesadas das emissões de gases (fumo preto) ficam presas nesses favos, obriga a que o filtro de partículas tenha de ser submetido a manutenções periódicas,

O objectivo dessas manutenções, é a desobstrução dos favos para que os gases possam circular livremente pelo filtro de partículas. Quando isso não acontece, o condutor tem a sensação que o carro abafa, não desenvolve e passa a consumir mais.

No entanto, quando falamos em manutenção, não estamos a dizer que vai ter de andar a trocar de filtro de partículas. Até porque, um filtro de partículas só tem de ser mudado, quando este avaria. Caso contrário, não é necessária a sua substituição.

E porque é que não há a necessidade de substituição do filtro de partículas?  

Não há a necessidade de substituição do filtro de partículas, porque este sistema vem dotado de uma função que é conhecida por “Ciclo de Regeneração”  e trata-se de uma e consiste na queima das partículas pesadas que se vão acumulando nos favos que estão no interior do filtro de partículas. O condutor neste processo não precisa de fazer nada, só tem de deixar que o veículo inicie e conclua este processo. No entanto existem dois tipos de ciclos de regenerativos:

  1. Ciclo de regeneração passiva – Este procedimento, ocorre de forma automática e durante as grandes viagens, quando a temperatura do escape, ultrapassa os 300ºC. Quando isso ocorre, as partículas pesadas que ficam presas dentro do filtro, são queimadas, como de uma coincineração se tratasse.  Destrói essas partículas e liberta o que daí resulta para a atmosfera.
  2. Ciclo de regeneração ativa – Isto acontece quando o veículo não consegue atingir a temperatura suficiente para que se possa queimar as partículas. Quanto isto acontece, as partículas se vão acumulando até se despoletar a regeneração ativa. Quando isto acontece, o condutor vai sentir que a viatura fica ligeiramente acelerada. Basicamente o que está acontecer nesse processo é, a unidade de comando de injecção de combustível é forçada no sentido de fazer com que o motor produza mais calor e a partir daí, inicia-se o ciclo de regeneração.

Quais os cuidados que se devem de ter?

Se tem uma viatura diesel e faz poucos quilómetros, saiba que está a prejudicar a sua viatura e principalmente o seu filtro de partículas. Para que os ciclos de regeneração possa funcionar sem problemas, é necessário eu faça muitos quilómetros de forma continuada, para que a temperatura possa atingir os valores mínimos necessários para que a queimas das partículas possa ocorrer.

Quando um veículo não consegue fazer o ciclo de regeneração passiva é provável que apareça no painel de instrumentos do carro, a indicação de avaria e ao mesmo tempo, um aumento anormal do consumo de combustível. Pode também acontecer que a viatura possa abafar, isso é sinal que o ar não está a circular.  Quanto este tipo de sintomas ocorrem, é perfeitamente normal que o seu carro entre em modo de segurança, ou seja, o seu carro vai andar muito devagar e por vezes pára mesmo.

Assim que verificar indicação de avaria no painel de instrumentos do seu carro, recomendamos que vá à oficina, para corrigir o problema.
No entanto é importante saber que, segundo algumas marcas, o filtro de partículas dura toda a vida útil do veículo. Mas, também sabemos que nem sempre é assim e por isso recomendamos que o filtro de partículas seja observado a cada 100 mil quilómetros.

E, se tiver de substituir o filtro de partículas, quanto custa?

O preço varia em função da marca do veículo. O preço para a substituição de um de filtro de partículas, poderá variar entre os 1000€ e 3000€, dependendo do veículo e do motor.

A melhor forma para impedir que isto lhe possa acontecer é de vez em quando, fazer viagens grandes.

Booking.com