Evitar acidentes de viação está nas suas mãos

Evitar acidentes de viação está nas suas mãos

Evitar acidentes de viação está nas suas mãos, esta é a maior das verdades. Alguns estudos, revelam que a maior percentagem de acidentes de viação resultam da falta de bom senso e respeito entre os condutores.

No final deste artigo vai ver um vídeo que temos a certeza que lhe vai causar muito impacto.

Quantas vezes lhe aconteceu, circular numa estrada em que tem toda a prioridade e ao avistar um cruzamento em que o outro condutor tem um sinal de stop, o leitor pára e deixa o outro condutor passar, ou, abranda a sua marcha para precaver situações de risco para si e para o outro condutor?

As respostas poderão ser, no caso de condutores mais experientes e maduros, “faço isso muitas vezes”, os condutores menos experientes e menos maduros, “raramente, se tenho prioridade, o outro condutor tem que esperar”.

Ambas as respostas não deixam de estar correctas, tendo em conta o ponto de vista de cada condutor. Mas, a prudência, bom senso e calma no acto de condução reduz e muito o risco de se ter ou provocar um acidente de viação.

Muitos condutores refugiam-se nas regras de prioridade e esquecem-se que às vezes são eles que se encontram em situação de desvantagem. Isto porque ter prioridade não é ter tudo, uma vez que o mais importante mesmo é o saber evitar acidentes de viação.

Agora a questão que lhe queremos colocar é a seguinte, se numa situação de iminente acidente de viação, pudesse para no tempo, o que é que o leitor fazia?

Deixamos-lhe ficar um vídeo que mostra exactamente isso e apela sobre tudo para que todos os condutores pensem naquilo que quase nunca pensam.

Convidamos os nossos leitores a deixar um comentário e fiquem com o vídeo.

Booking.com
  • zé dias

    Claro, que a Vossa exposição é obvia…… o bom condutor é aquele que sempre se preocupa com a condução dos outros condutores.
    Assim praticamente evita na maioria dos casos o acidente.
    As autoridades deviam preocupar-se mais com esses casos do que própriamente com excesssos de velocidade, desde que não exagerados, e em função do carro e da via onde se circula.
    Em tudo é preciso sempre o bom senso