Comparativo SUV. Range Rover Velar VS Porsche Macan.

Deste comparativo automóvel, quem é que venceu a categoria TT?

Comparativo SUV. Range Rover Velar VS Porsche Macan.

Comparativo SUV. Range Rover Velar VS Porsche Macan. Deste comparativo automóvel, quem é que venceu a categoria TT?

No comparativo de hoje vamos falar de dois fantásticos TT. Um, provém de um dos maiores especialistas em Todo-o-Terreno, o Range Rover Velar e o outro é o super rápido Porsche Macan (2007). Qual é que será a escolha mais acertada? Ainda que não digamos qual o melhor, o leitor poderá com muita facilidades tirar a sua conclusão e formar a sua opinião.

O tempo em que, os todo-o-terreno eram utilizados para trabalhos forçados e conseguirem alcançarem locais que outros veículos não conseguem, dada a sinuosidade e o extremo desconforto que essas estradas e caminhos oferecem, já lá vai. Hoje, um TT é sinónimo de luxo, conforto, segurança, família. É também, conseguir andar em estradas de lama, pedras soltas, lombas com ângulos complicados e depressões muito acentuadas com o máximo conforto possível. Para além disto tudo, é Status, um marco de distintividade.

O Range Rover

Temos de começar por chamar a sua atenção para o facto de que o Range Rover Velar é fabricado pelo um dos maiores especialistas na construção de veículos todo-o-terreno. Define-se pela excelente qualidade de construção, muito bom design, quer estético, quer funcional. É um SUV poderoso e extremamente confortável. Com ele, chegamos a todo o lado e sempre com o máximo de conforto.

O Porsche Macan (2017)

O Porsche Macan, define-se pela mesma bitola do Range Rover Velar. A grande diferença é mesmo na velocidade que o Porsche emprega em tudo o que faz. Ou seja, basicamente faz o mesmo que o Range Rover Velar, só que consegue chegar ao seu destino mais rapidamente que o seu concorrente.

Sabemos que o posicionamento do Range Rover é fazer carros que andam por maus caminhos com todo o conforto. Neste sentido, o Velar marca o exemplo desse posicionamento.

Carroçaria

Carroçaria do Range Rover Velar

O Velar foi construído a partir da plataforma modular que é usada na construção do Jaguar F-Pace. Tendo em conta que este Jaguar é o SUV mais dinâmico da Jaguar Land Rover, percebe-se que o Range Rover Velar quer tirar partido desta plataforma para isso mesmo, ou seja, para conferir a este modelo uma faceta mais atlética e dinâmica. Talvez o faça para introduzir argumentos capazes e bater o Macan (2017) nesse capítulo.

A orientação desportiva do Velar associada às vantagens técnicas provenientes dos modelos tradicionais, são os argumentos responsáveis por atrair os clientes habituais do Evoque.

O Velar tem apenas mais cinco centímetros que o Range Rover Sport. No entanto, trata-se de uma pequena diferença, no que ao tamanho diz respeito. Mas, é nas questões técnicas que o Velar é bastante diferente e começamos desde logo por salientar a ausência das barras estabilizadoras ativas e a caixa de redutoras, presentes nos modelos maiores. O objectivo foi conseguir uma significativa redução no peso, com vista ao melhoramento da sua performance desportiva. O Velar vem equipado com um sistema de tração integral Torque On Demand, bem como o seu habitual estilo clássico, terminado com apontamentos de luxo.

O Porsche Macan (2017)

Por toda a excelente dinâmica que o modelo germânico oferece, este tornou-se no alvo a abater por todos os construtores que operam no segmento dos veículos todo-o-terreno e SUV com comprimento de 4,70 metros.

O Porsche Macan (2017) é robusto, bem construído, potente, dinâmico, preciso, oferece muitos e bons apontamento de luxo e conforto. Quando na presença dos piores pisos, o Macan corresponde na perfeição, ultrapassando os obstáculos com todo o conforto. Mas é no asfalto que o Macan bate aos pontos os seus concorrentes. Muito potente e é muito preciso, oferecendo um excelente controlo sobre os movimentos da carroçaria, cotando-se acima da média dos melhores.

Mecânica

Mecânica do Porsche Macan

Mecanicamente, temos de chamar atenção para o facto de estarmos a falar de um Porsche. Facto que lhe confere a vantagem de ter apenas um motor a gasóleo. Um diesel de seis cilindros em V, uma arquitetura bem diferente do que habitualmente vemos nos seus motores gasolina.

O motor, diesel, utilizado no Macan é um seis cilindros com 2967cc com turbo de geometria variável que, em conjunto debitam 258cv de potencia máxima às 4000 rpm e um binário máximo de 589 Nm disponível entre as 1759 e as 2500 rpm.

A este poderoso motor, a Porsche usa a sua conhecida caixa PDK de sete relações que direciona o binário para uma embraiagem multidiscos e que o reparte pelos dois eixos. Isso acontece consoante as diferentes condições de aderência.

Tem uma capacidade de aceleração impressionante, 100 Km/h em apenas 6,1 segundos e uma velocidade máxima de 230 km/h. . Já os consumos, são diferentes dos anunciados, ou seja, o Macan anuncia 984 km de autonomia e na verdade não consegue ultrapassar os 800 km.

Mecânica do Range Rover Velar

A oferta de motores diesel é mais abrangente no Range Rover Velar. Para além de contar também com um V6 diesel, a entrada de gama é feita através de blocos de dois litros com 4 cilindros e 180 CV. São blocos que proveem da família Ingenium. Se subirmos o patamar, mantemos o bloco dois litros, quatro cilindros e 240cv de potência máxima. Os dois turbos de série conseguem garantir um binário máximo de 500 Nm às 1500 rpm. No entanto, este upgrade tem um custo de 7000€.

Não obstante, o facto de o Velar usar, em 81 % da sua estrutura, alumínio simples ou alumínio em liga, permitir um equilíbrio na relação peso/potencia, não consegue bater os 6,1 segundos do Macan, ficando-se pelos 7,3 segundos, na prova de arranque.

Se a sua intenção é testar o arranque do Range Rover Velar e tentar alcançar os 100 km/h em 7,3 segundos, então vai ter que colocar o comando rotativo, tradicional dos carros Jaguar Land Rover, na posição Sport. Depois, deixe o sistema de tração integral Torque On Demand tratar do resto.

No Velar contamos com uma caixa de transferências com embraiagem multidisco e transmissão por corrente para o eixo dianteiro e que pode, em função das condições de aderência, transferir a tração traseira para o bloqueio do diferencial central. Para esta ação o sistema precisa apenas 165 milissegundos.

Os quatro cilindros

Se por um lado, os quatro cilindros nas gamas mais baixas são uma vantagem em termos de custo, por outro são uma desvantagem. Isto porque, os motores de quatro cilindros não conferem nem a potência nem a estabilidade que encontramos no V6. Ora, para conseguirmos no quatro cilindros a mesma performance de um V6, temos que os “espremer” ao máximo e quando isso acontece, conseguimos sentir vibrações e o ruído que nos chega ao habitáculo.

Apesar da qualidade de construção do Range Rover Velar ser de topo, esta é inferior à do Porsche Macan (2017). No Velar conseguimos, quando levamos o bloco de quatro cilindros ao máximo desempenho, perceber o seu ruído e as suas vibrações. No Macan, o isolamento é de tal forma excelente que, o único ruído que conseguimos perceber é o eventual assobio da aerodinâmica.

Conforto

Ambos os modelos vêm equipados com suspensões independentes em ambos os eixos, que são suavizadas por amortecimento adaptativo, conseguindo assim garantir um nível de conforto superior em qualquer tipo de piso.

No entanto, o Range Rover Velar, com um opcional que custa 1713€, a suspensão pneumática que tem a capacidade de esticar a altura ao solo em 251mme a capacidade de passagem a vau para os 650 mm, aumentou a fasquia face aos seus concorrentes. Isto porque, com este equipamento consegue só o dobro da capacidade de imersão face ao Porsche Macan.

Tecnologia a bordo

Em termos de design, o Macan segue as linhas daquilo que são a imagem de marca da Porsche, ou seja, um design mais clássico.

O design do interior demarcar-se pela organização lógica, pelo volante desportivo inspirado no 718 Spyder, pela consola central cravejada de botões e como não podia deixar de ser, a melhor qualidade de construção e a melhor qualidade dos materiais utilizados.

Numa linha estilística diferente está o Range Rover Velar. Este aposta num design mais vanguardista.

No interior, segue as tendências do mercado, ou seja, a eliminação dos botões a bordo substituindo-os por dois ecrãs tácteis e o ecrã personalizável do painel de instrumentos e comandos capacitivos no volante.

Tal como no Macan, a qualidade dos materiais utilizados é do melhor que há no mercado e a qualidade de construção é igualmente excelente.

Ao volante

O Macan oferece uma posição de condução mais desportiva. O seu poderoso V6 confere-lhe mais pulmão, vigor, reagindo com muita naturalidade sempre que se aperta o acelerador. É um motor extremamente eficiente e equilibrado em todos os regimes, ao ponto deste motor diesel parecer ser um motor gasolina, ou seja, um motor silencioso a bordo.

O silêncio a bordo é algo que o Range Rover Velar não conseguiu anular. A razão para isso acontecer não tem a ver com a qualidade dos matérias usados, nem com a qualidade de construção do carro. Tem a ver com o facto de o esforço que o motor de quatro cilindros tem que fazer para atingir o mesmo patamar que o V6 do Macan. E quando isso acontece, o esforço do motor é sempre audível e perceptível a bordo do Velar.

Os consumos

Neste particular o Macan é mais económico que o Velar. Isto acontece porque o motor V6, do Porsche, é mais poderoso e equilibrado necessitando de menos esforço para atingir determinadas performances e isso faz com que os consumos sejam mais baixos.

Já os motores de quatro cilindros usados pelo Velar são submetidos a mais esforço para igualar a performance do V6. Esse esforço faz com que estes se tornem mais gastadores. Assim, o V6 do Macan alcança consumos combinados de 7,7 l/100 km. Os motores de quatros cilindros fazem um consumo médio de 9,1 l/100 Km.

Dinâmica

Em Estrada

Em estrada a dinâmica do Porsche Macan é muito mais eficiente do que a do Range Rover Velar. O Macan é, neste capítulo a referência do segmento e isso nota-se sempre quando a velocidade aumenta e sinuosidade das estradas se torna mais complexa. O Macan tem uma dinâmica muito precisa e a sua direção faz uma leitura correta da estrada, permitindo assim antecipar o limite de aderência dos seus pneus.

Por seu lado, o Velar consegue uma direção similar à do Macan, no que ao tempo de reação diz respeito. Porém, não consegue ser tão preciso sobre os limites do eixo traseiro e no ataque à curva perde precisão obrigando ao alargar a trajetória.

Fora da Estrada

Se em estrada o Porsche Macan vence o Range Rover Velar, fora dela os papéis invertem-se. Nas estradas de terra e troços de elevada sinuosidade o Velar leva vantagem.

Tal como tínhamos feito referência, o Velar é aquele que oferece uma maior altura ao solo e com isto consegue as melhores valores TT. Equipado com o R-Dynamic, o ângulo de ataque é de 21,5º, contra 19,6º do Macan.

No ângulo de saída e ventral, o Velar vence com, 29,1º contra 25,3º na saída e 23,5º contra 17,4º no ventral.

Em suma, são dois excelentes automóveis com uma ligeira vantagem para o Porsche Macan.

Foto Galeria