[Reposição] Novinhos em Folha

[Reposição] Novinhos em Folha

Esta semana, o alvo das nossas pesquisas foi a Suzuki. O titulo é “Novinhos em Folha 15zena de Viaturas Semi-novas”.

«Se quer um Suzuki ” novinho em folha”, vá já a concessionário Suzuki. Porque na compra de uma viatura semi-nova Swift, Sx4 ou Grand Vitara oferecemos-lhe de imediato um GPS e uma prestação a partir de 99 euros por mês*. Então, ainda aí está?»

[Reposição] Novinhos em Folha

Então o carro é novo, semi-novo ou “novinho em folha”? Pelos vistos “novinho em folha” é uma nova designação para “Epá, é mesmo como se fosse novo. Mas não é.”

Bom, mas adiante, notem o asterisco no final da frase. Encontrámos o texto associado a ele no fundo do folheto, em letra que quase se tem de ler à lupa.

[Reposição] Novinhos em Folha

Este texto diz:

«[os 99 euros por mês são um] Exemplo de financiamento Deutsche Bank, em leasing [atenção que neste caso o seguro automóvel costuma ser obrigatoriamente contra todos os riscos] a 84 meses para um Suzuki Swift 1.3 5p GLX a gasolina matriculado no ano de 2007 com uma entrada obrigatória de 30% e 20% de valor residual. TAEG de 6,75%. Acresce 145,20€ de despesas de contrato. Disponíveis outros tipos de financiamento. [só falta saber quais!] Campanha é válida até 31 de Dezembro […] Oferta sujeita ao stock existente.»

Para melhor compreender, vou tentar explicar de forma muito sucinta o que é a TAEG, Capital Financiado, Valor Residual e Valor de Entrada.

Assim a TAEG é a taxa anual aplicada ao capital mais os encargos gerais, encargos estes que são todas as despesas suportadas pelos consumidores finais, acabando por encarecer a taxa aplicada inicialmente, isto é, esta taxa existe para determinar o custo final do credito, albergando o capital do carro mais a taxa de juro anual mais os encargos com todo o processo.

Valor Residual, é o valor que o cliente terá de pagar no final do contrato para ficar com o automóvel, ou seja, quando se faz um credito automóvel com valor residual, o que na realidade está a fazer é assumir o pagamento de maior valor no final do contrato. A este valor final é denominado por valor residual. Valor de Entrada, é a verba que o cliente adianta, que vai amortizar o valor total do carro, sendo assim menor é o capital financiado. Capital financiado, é o valor que resta após deduzido o valor de entrada e o valor residual.

Agora que estão explicadas algumas das palavras que por vezes não as percebemos, vou tentar explicar que a TAEG aplicada neste caso se deve única e exclusivamente à formula escolhida para o mesmo. Esta TAEG só é possível, porque o capital financiado é muito baixo, esta simulação tem entrada e valor residual. Na nossa análise o facto de declararem uma TAEG de 6,75%, mas que ainda acrescem as despesas de contrato, não está correcto, uma vez que a TAEG é a taxa que resulta do somatório entre o capital, a taxa aplicada e as despesas totais no processo de compra automóvel.

Mas que neste caso está errado, pois depois de calculada a TAEG, ainda acrescem mais 145,20€, que se realmente tivessem sido contabilizados, a TAEG seria mais elevada. Não estamos a dizer que tudo o que está por de trás desta comunicação está mal, mas por exemplo, quem tem dificuldade em ver não se apercebe desta formula. Depois há um claro erro no que se aplica a TAEG, ela deveria ser mais elevada, se considerar as despesas totais.

Para terminar, quando estiverem a comparar as prestações entre uma comunicação deste género e uma comunicação de um outro vendedor, o melhor é primeiro analisar estas questões, e, se tiverem dificuldades, utilizem o nosso blogue para as colocar, teremos imenso prazer em os ajudar.

Booking.com