Morte de Paul Walker. Porsche não é culpada

Morte de Paul Walker. Porsche não é culpada. Esta foi a decisão que foi tomada por um tribunal de Los Angeles, em sequência do processo iniciado pela viúva do condutor, Roger Rodas, amigo e conselheiro financeiro de Walker.

Em maio de 2014, Kristina, viúva de Rodas, avançou com uma acção em tribunal contra a Porsche, mas, depois de analisados os factos expostos, o tribunal considerou que Kristina, não forneceu matéria de prova capaz de imputar responsabilidade ao construtor alemão.

A teses da acusação alicerçou-se na presunção de que, o Porsche Carrera GT tinha pouca proteção quando a viatura se incendiou, após o embate contra o poste de iluminação pública.

A defesa da viúva de Rodas, refere que o Porsche Carrera GT, não estava preparado para suportar o impacto lateral e acrescentou que a suspensão do Porsche também falhou.

No entanto, este tese revelou-se infrutífera, uma vez que, o magistrado refutou todas as acusações, dizendo que os dois ocupantes do Porsche Carrera GT, morreram devido a impacto frontal e não lateral e acrescentou, que o incêndio não foi provocado por um defeito no depósito do combustível. Deliberando que a Porsche não é responsável pela morte de paul walker.

Na sequência das investigações efectuadas, apurou-se que o Porsche Carrera GT circula a uma velocidade de 150 km/h no momento do sinistro.

Booking.com