O Governo continua a prejudicar Micro-Empresas

Vende de carros na rua é venda ilegal

O Governo continua a prejudicar Micro-Empresas

O Governo continua a prejudicar Micro-Empresas. Hoje vamos falar dos esquecimentos sistemáticos por parte do governo em relação às micro-empresas.

No passado dia 19 de Abril de 2009 o JN publicou a seguinte notícia:

GNR corta auto-estrada para fiscalizar condutores

Nesta notícia e segundo a fonte, não foi só a GNR que fiscalizou, foi também o SEF – Serviço de Estrangeiros e Fronteiras, ASAE, Inspecção Tributária e o IGAC – Inspecção Geral das Actividades Culturais. Diz-se ser uma operação enquadrada nas múltiplas acções policiais intensificadas a partir de Setembro do ano passado, definidas como acções policiais de combate ao crime.

No entanto estas acções de combate ao crime acabam sempre por cair em cima do condutor, com claras implicações no aumento de multas, do que propriamente sobre a criminalidade.

Bem na opinião do Automoveis-Online, isto mais parece a caça à multa, aliás, em tempo de crise o nosso querido estado tem mais é que facturar.

Mas vamos ao que interessa, não podemos dizer que este tipo de acções policiais são em tudo más, elas também têm o seu lado positivo.  O seu lado positivo é que vai intimidando quem está a cometer crimes contra,  as Finanças, contra quem não paga direitos de autores, quem não tem carta, que não paga seguro automóvel e muitas outras coisas mais.

Se repararem bem, são na sua grande maioria crimes económicos e fiscais. Todas estes crimes são punidos com o pagamento de multas.

Tirando o SEF e os Impostos, as outras componentes são económicas, em que as entidades prejudicadas pela falta de regulação são grandes empresas, como por exemplo as companhias de seguros, escolas de condução, artistas entre muitos outros.

Mas para o estado, as micro-empresas de comércio de automóveis usados, já não merecem da mesma protecção. Falamos em Micro-empresas de automoveis, porque é o sector que nós trabalhamos, que nós observamos com mais cuidado, mas esta observação aplica-se a muitos outros sectores de actividade económica. Analise o sector em que se encontra, veja a dimensão da sua empresa e por veja quais a medidas de protecção que o Governo tem para com o seu sector.

Quando se ouve a falar de crise no sector automóvel, na quebra de vendas, estão a falar nas multi-nacionais que operam no mercado Português. É claro que essas instituições também devem ter ajudas, pois empregam muitas pessoas e não só. Mas as Micro-Empresas de Automoveis Usados, também empregam directa e inderectamente muitas pessoas e não existe nenhum plano para as ajudar.

Posto isto, a questão que se coloca é a seguinte:

Quem é que protege o comércio de automóveis usados?

Será impressão exclusiva do Automoveis-Online, ou todos partilham da mesma opinião? “Vender carros na rua”, respeita ou não a um conjunto alargado de crimes?

Não se vê a policia a levantar os carros que se encontram à venda na rua, nas rotundas, em cima dos passeios. Vendedores de rua, mais parecem ervas daninhas, eles existem por todo o lado. Não se vê nenhum rigor nem controlo da situação.

Quando se solicita a intervenção destes agentes da autoridade, nunca é da competência deles, pelo mesmos são estes os tipos de resposta que vão dando em determinados concelhos do país.

Aqui não há ASAE, GNR, PSP, Inspecção Tributária, IGAC, que valha.

Imaginem só quanto é que o Estado perde na não regulamentação deste nicho da economia paralela, mais conhecida por economia subterrânea.

Reparem bem, um carro na rua à venda, não paga impostos, não dão garantia, só dão problemas. Não estou a falar dos vendedores particulares, aqueles que só têm um carro para venda. Estou a falar dos Pseudo-vendedores, aqueles que se mascaram de vendedores particulares e vendem carro atrás de carro como se comerciantes de facto fossem.

As vendas destes acabam mesmo por causar grandes problemas económicos. Se não repare no seguinte exemplo:

Uma pessoa compra um carro ao vendedor de rua, faz um crédito para o pagar e fica endividado. Ao fim de um ou dois meses o cliente descobre que o carro é roubado ou está penhorado. O cliente vai ter de pagar o carro e fica sem ele.

Agora repare, este cliente era um bom cliente no que diz respeito ao circulo económico, depois de ter sido burlado torna-se num mau cliente para o mesmo circulo económico.

Mesmo depois de detectada a burla, este cliente dificilmente terá capacidade de reacção e de se livrar deste problema sem que tenha de sofrer consequências secundárias, que de certa forma condicionam muito a compra de carros. Principalmente se essas consequências se verificarem ao nível dos bancos. Queremos mostrar com este exemplo que estas situações retiram do circulo económico, potenciais clientes normais, limitando o sucesso das empresas que pagam impostos.

Acho que dá para perceber a razão pela qual nós dizemos que o Governo continua a prejudicar as Micro-Empresas. Se em vez de Micro-Empresas de comércio de automóveis usados, fossem mega empresas, aí acredito que o Governo tomasse medidas.

Bem fica aqui o meu repto a todos aqueles que acharem pertinente fazer algo. Enviem as vossas ideias e sugestões para, . Assim e juntos poderemos fazer algo de válido neste sector que todos se estão a esquecer.

Deixo aqui um acesso a informação credível acerca dos vendedores de rua, acho que chegou a hora de se fazer algo para que as autoridades e o Governo abram os olhos. 

Fonte: JN

Booking.com