Comparativo Ford Mondeo 1.5 TDCi SW ou Opel Insignia Sports Tourer 1.6 CDTi

Comparativo Ford Mondeo 1.5 TDCi SW ou Opel Insignia Sports Tourer 1.6 CDTi qual o melhor?

Comparativo Ford Mondeo 1.5 TDCi SW ou Opel Insignia Sports Tourer 1.6 CDTi qual o melhor? Escrevemos este artigo a pensar nos leitores que estão neste momento interessados em comprar um veículo deste segmento D e em concreto um destes dois modelos.

Frente a frente estão à Ford Mondeo SW com motor 1.5 TDCi e a Opel Insignia ST com o novo motor 1.6 CDTi, ou seja, duas grandes carrinhas equipadas com “corações” pequenos.

Em termos comercias, como é normal nos veículos germânicos, os descontos comerciais não abundam, mas, por norma são sempre os mais preferidos do consumidor em geral. Por outro lado, o Ford Mondeo apresenta-se com uma campanha promocional para aliciar a compra.

Vamos começar por um dos órgãos que tem muita importância na hora de decidir a compra, o espaço da bagageira.  Neste capítulo, a Ford Mondeo SW oferece uma maior capacidade de bagagem face ao seu adversário, são 525 litros contra os 500 litros que estão disponíveis no Opel Insignia Sports Tourer. No entanto, o modelo alemão perde na capacidade e ganha na inovação, isto porque, o Opel Insignia Sports Tourer vem equipado de série com o sistema de portão da bagageira elétrico, tratando-se de uma inovação muito útil nos dias de hoje, principalmente quando nos vemos em situações em que as nossas mãos estão ocupadas com sacos.

Da bagageira passamos da bagageira para o habitáculo e neste não se encontra grandes diferenças no que ao espaço diz respeito, uma vez que, neste capítulo, ambas as breaks são muito semelhantes. Ambas oferecem alguns apontamentos de requinte e de versatilidade com a presença de diversos espaços de arrumos. Em ambos os modelos, o design utilizado na concepção dos bancos traseiros é excelente, uma vez, que através deste, se conseguiu mais espaço e mais conforto para os passageiros, nomeadamente o espaço reservado às pernas.

Passando do espaço para a qualidade dos materiais utilizados e construção a germânica Opel venceu a Ford, quer ao nível da qualidade de construção. No capítulo montagem, no Opel é visível melhor aprumo na montagem, redução significativa das folgas entre os painéis e um cuidado especifico na união dos tecidos utilizados, que no caso do Opel é pele. Já no Ford, se denota um descuido maior na montagem, nomeadamente nas junções de alguns painéis, bem como no forro dos pilares A. Os tecidos utilizados, apresentam menos qualidade que os utilizados pelo seu oponente.

Nos extras que cada marca disponibiliza aos seus clientes e nesta área, ambas as marcas apresentam-se muito equilibradas. Mas, mesmo assim há pequenas diferenças que têm de ser assinaladas. Para além de um ou outro detalhe, como é o caso da abertura eléctrica da mala, no caso do Opel, o maior destaque vai para o tamanho das Jantes especiais. Sendo que aqui não é justo dizer que um é vencedor em detrimento do outro.

No capítulo da segurança é mais do mesmo, ou seja, ambos os modelos se equivalem. Ambos vêm equipados com sistema de leitura de faixa de rodagem e leitura de sinais e aviso de colisão frontal. Enquanto o Ford tem sistema de aviso de ângulo morto no retrovisor, a Opel propõe o sistema OnStar que solicita assistência de forma automática.

Comportamento dinâmico

Antes de irmos ao cerne da questão, há que relevar a forma interessante do comportamento revelado destas duas breaks na utilização citadina, poder-se-à dizer que estamos na presença de veículos que se desembaraçam na perfeição, tendo em conta o pequeno “coração” que ambas usam.

Mas, vamos tentar de uma forma clarificadora, falar no que é mais importante, quando estamos a comparar dois automóveis, ou seja, direção, caixa e pedais.

Apesar de ser mais lenta no arranque, a Ford Mondeo 1.5 TDCi SW oferece uma condução mais fácil e suave, tornando-se um pouco mais nervosa a partir das 2000 rpm.

Já a Opel Insignia Sports Tourer 1.6 CDTi, oferece uma condução, que apesar de ser suave é inferior à ford e é mais nervosa. Nos comandos, denota-se que estes são mais pesados, embora se perceba claramente o esforço que a marca teve em fazer com que o ruído do motor fosse consideravelmente menor que o “antigo” 2.0 CDTi de 140 cv. Equipada com umas Jantes especiais de dimensões iguais à Ford, a Opel consegue uma combinação macia e ao mesmo tempo robusta, mesmo sem o sistema Flexride, que permite uma direção mais direta e uma resposta de acelerador mais imediata e o controlo contínuo de amortecimento (CDC).

O Ford Mondeo 1.5 TDCi SW na versão Econetic, apesar de oferecer uma condução suave, apresenta um comportamento um pouco “estranho”, por um lado, denota-se falta de conforto na caixa de velocidades, pelo outro, sente-se que o veículo adorna em demasia, tendo em conta que este modelo utiliza, pneus de baixo perfil e jantes especiais de 16”.

No entanto, percebe-se a preocupação dos dois construtores com o bem-estar dos ocupantes, sendo que, a Opel é a que apresenta um pequeno solavanco no eixo traseiro, quando circula nos pisos mais agressivos.

No comportamento dinâmico, num exercício de curva e contracurva, o vencedor é o Opel Insignia Sports Tourer 1.6 CDTi, uma vez que oferece um controlo de estabilidade permissivo e revela boa aderência e acertividade da direcção.

Tendo em conta o modelo utilizado, o Ford Mondeo 1.5 TDCi SW Econetic, acaba por ser prejudicial à marca neste comparativo, uma vez que, em modo de passeio se denota uma certa rigidez e mais lenta a andar depressa. No entanto, denota-se que o chassis utilizado continua a ser muito rigoroso. Mas, se a sua escolha neste modelo, passar pela utilização de uma versão que recorra à utilização de uma suspensão normal e pneus de perfil mais alto, os resultados poderiam ser muito mais agradáveis com vantagem nesta avaliação.

Quanto à energia que é gerada pelos pequenos blocos, o Ford perde. O bloco utilizado tem 1.5 de cilindrada e debita uma potência máxima de 120 cv e que associado ao seu peso, mais de 1,5 toneladas, e isso reflete-se na sua capacidade de aceleração, perdendo claramente para o seu oponente. Nas recuperações, o Ford é lento, muito por culpa da sexta relação que é demasiado longa.

O Opel sai vencedor deste particular, isto porque, o seu motor é mais potente que o seu oponente e apesar de ser um 1.6 de cilindrara, consegue performances semelhantes à de um bloco 2.0 de cilindrada. Mas, não é só nas acelerações que o Opel é melhor, nas recuperações também o é.

Consumos 

Apesar de serem veículos pesados, ambos apresentam resultados interessantes. Sendo que o vencedor nesta categoria é a Opel.

Tendo em conta que o motor da Opel tem melhores recuperações, esta consegue por essa via uma pequena redução de consumo em cidade, sendo que é na auto-estrada que a Opel se demarca da Ford. Por sua vez, a Ford apresenta um consumo mais elevado em auto-estrada.

 

Preço

O vencedor nesta categoria “Preço”, é claramente a Ford. Uma vez que, oferece uma campanha promocional no valor de 2050 euros, que podem ser utilizados para aquisição de alguns extras, acabando por manter um preço final idêntico ao preço base.

Por sua vez, a Opel começa logo por ter o preço mais elevado, uma vez que, o seu preço base é mais elevado que o seu oponente. Que, depois de acrescentar alguns extras o seu valor final chega facilmente aos 40 mil euros. Na aquisição do Opel Insignia Sports Tourer 1.6 CDTi, leva para casa cinco anos de garantia ou 100 mil km, um pacote onde ainda conta com o serviço de assistência em viagem e viatura de substituição

Em conclusão, o Opel sai vencedora deste confronto, apesar de o seu custo de aquisição ser maior. A Opel mais qualidade de construção, melhores materiais, melhor comportamento dinâmico, melhores consumos e um motor mais eficiente.

Foto Galeria

Booking.com
  • leonel

    Tanta conversa e nada de cavalos do opel (136 cv)