Chegou! A bactéria que produz gasolina

Bactéria  Escherichia coli é capaz de produzir gasolina

Chegou! A bactéria que produz gasolina

Chegou! A bactéria que produz gasolina. Bactéria  Escherichia coli é capaz de produzir gasolina.

Parece brincadeira, mas não é. A notícia foi avançada pelo jornal “O Público”. É a Bactéria  Escherichia coli que é capaz de produzir gasolina.

A descoberta surge no seguimento de um estudo realizado no Instituto Avançado para a Ciência e Tecnologia da Coreia do Sul, pela equipa de investigação de Yong Jun Choi e Sang Yup Lee. Juntos descobriram a capacidade de se produzir gasolina a partir de estirpes da bactéria  Escherichia coli.

O resultado do estudo foi publicado na última edição da revista “Nature”. Que veio reforçar um outro, que se refere à produção do gasóleo, recorrendo a microorganismos.

Apesar de não ser do conhecimento geral, a gasolina é composta por uma mistura de hidrocarbonetos (alcanos) e alguns aditivos. Outro ponto que não é do conhecimento geral, é que os organismos vivos pela sua natureza, têm a capacidade de produzir hidrocarbonetos, compostos químicos constituídos essencialmente por átomos de carbono e hidrogénio. Isto posto, a bactéria  Escherichia coli não é diferente, com a grande vantagem de poder ser manipulada em laboratório.

Então a equipa de investigação, criou novas estirpes desta bactéria, “muito frequente ver-se nos intestinos”. Modificaram a forma como elas processam a glicose, que dão origem a ácidos gordos e seus derivados, que também são hidrocarbonetos. Com a produção dessas novas estirpes, os cientistas induziram as bactérias à produção de alcanos adequados à produção de gasolina. Contudo, a quantidade de hidrocarbonetos desta nova biogasolina ainda é muito baixo.

No entanto, a produção dos hidrocarbonetos através de bactérias está a ser considerada como uma alternativa aos combustíveis fósseis baseados no petróleo. Segundo a equipa de investigação, o desempenho desta novabiogasolina é superior aos outros biocombustíveis, isto porque, tem um conteúdo enérgico mais elevado, ou seja, mais elevado que o metanol em cerca de 30%.

Mas, persiste a seguinte pergunta, este novo processo de produção de gasolina, poderá contribuir para o efeito de estufa?

Segundo Sang Yup Lee, citado num comunicado do Instituto Avançado para a Ciência e Tecnologia da Coreia do Sul, “Ainda estamos no início do trabalho para a produção sustentável de gasolina. A concentração ainda é baixa. Estamos a trabalhar para aumentar a concentração, o rendimento e a produtividade da biogasolina”. Acrescenta, “Seja como for, estamos contentes por anunciar, pela primeira vez, a produção de gasolina através da engenharia do metabolismo da E. coli, que esperamos que sirva de base para a engenharia do metabolismo de microrganismos que produzam combustíveis e químicos a partir de fontes renováveis.”.

Produzindo as bactérias, gasolina, será que a sua combustão não irá libertar para a atmosfera dióxido de carbono? Um dos gases responsáveis pelo efeito de estufa. Sang Yup Lee responde ao PÚBLICO que, no final, o balanço entre as emissões e as capturas de dióxido de carbono é neutro: apesar de a combustão dabiogasolina produzida pelas bactérias libertar dióxido de carbono, a E. coli alimenta-se da glicose que vem das plantas e estas, por sua vez, já tinham capturado dióxido de carbono durante a sua vida.

Booking.com