O diesel que não emite CO2 chama-se e-diesel

O diesel que não emite CO2 chama-se e-diesel

O diesel que não emite CO2 chama-se e-diesel e foi desenvolvido pela Audi, criado a partir da atmosfera, da água e da electricidade “verde”.

O investimento em temas relacionados com combustíveis alternativos é matéria que a Audi tem tido forte empenho e prova disso mesmo é o passo de gigante que a construtora alemã deu ao avançar para a construção da fábrica piloto e que foi inaugurada na passada sexta-feira, em Dresden-Reick, onde irão ser produzidos diariamente cerca de 160 litros de “Blue Crude”.

Este “Blue Crude” é um combustível sintético neutro de CO2 e chama-se e-diesel e é um gasóleo que foi desenvolvido a partir de água, CO2 e electricidade verde. Este projecto é resultado de uma parceria entre a marca alemã Audi, Climeworks e Sunfire.

O processo de produção do e-diesel começa na fábrica Sunfire, que opera segundo o princípio “power-to-liquid”, ou seja, utiliza como matérias-primas o dióxido de carbono, água e electricidade.

A tecnologia desenvolvida pelos Suíços da Climeworks, captura o ar do meio ambiente e extrai o dióxido de carbono directamente o ar. Num processo independente, isto é, em separado, entra uma unidade de electrólise alimentada com electricidade verde que decompõe a água em hidrogénio e oxigénio.

Então ocorre a reacção entre o hidrogénio e o dióxido de carbono, em dois processos químicos que são realizados a 220 graus Celsius e a uma pressão de 25 bar para produzir um líquido energético que é composto por hidrocarbonetos. Este composto líquido energético, chamamos “Blue Crude”.

É importante perceber que é este processo que incrementa a sua eficiência até 70 por cento. Do resultado, 80 por cento pode ser convertido em gasóleo sintético.

Segundo a Audi, este combustível é isento de enxofre e de aromáticos, as suas propriedades químicas permitem que seja misturado em qualquer proporção com diesel de origem fóssil. Isto significa que pode ser utilizado como um combustível “drop-in”. Mas, a percentagem de Cetano é elevada, o que significa que se inflama com muita facilidade.

Neste projecto, a marca germânica combina duas tecnologias inovadoras: do ar do meio ambiente é capturado CO2 e o processo “power to liquid” para a produção de combustíveis sintéticos.

Para além deste projecto, a Audi encontra-se envolvida com a empresa francesa Global Bioenergies, para a produção de e-gasolina e com a empresa norte-americana Joule para produzir os combustíveis sintéticos Audi e-diesel e Audi e-etanol, com a ajuda de micro-organismos.

Vídeo “power to liquid”

Vídeo “Audi e-etanol”