SCOOTER! Cem por cento Eléctrica e cem por cento Portuguesa

SCOOTER! Cem por cento Eléctrica e cem por cento Portuguesa

Está pronta e é 100% eléctrica e 100% portuguesa, estamos a falar da Scooter que foi desenvolvida por investigadores do Instituto de Sistemas e Robótica da Universidade de Coimbra (ISR/UC). Esta Scooter dispõe de uma tecnologia inovadora que permite configurar o sistema da propulsão ao gosto de cada utilizador.

Outras das inovações disponíveis no protótipo é a comunicação entre o grupo propulsor, o controlador (um ‘tablet pc’ com sistema operativo Android), as baterias ou o carregador através de um sistema sem fios (bluetooth).

A coordenadora do projecto Ana Vaz, disse à agência Lusa que a ‘scooter’ foi «pensada e desenvolvida num contexto de utilizador urbano. Todos os principais dispositivos comunicam entre si, permitindo fazer uma gestão inteligente do conjunto».

Assim, este protótipo dispõe de três diferentes modos de utilização, o Eco, Sport e Safety –  «completamente configuráveis» e dispensa o uso da chave, recorrendo a um cartão e sem o qual a moto não funciona. Esta, assim que se insere no sistema de controlo da Scooter, insere também o perfil de cada utilizador.

A coordenadora do projecto Ana Vaz explicou, «Uma família pode ter três ou quatro cartões: os pais podem andar num modo que permita a velocidade máxima e os filhos, com a chave em modo ‘Eco’, podem acelerar ao máximo que a moto não ultrapassa os 60 km/h».

A investigadora admitiu que a equipa que lidera «não foi regrada» ao construir o protótipo em termos de custos, nem ele foi pensado, à partida, como modelo de negócio.

Em termos de preço, Ana Vaz referiu que embora o projecto não considerou os custos, enquanto modelo de negócio, «Mas, como protótipo, tem um preço excepcional, equivalente ao preço de entrada de gama de uma ‘maxi scooter’ de 200 ou 400 cm3 de cilindrada», com preços que «rondam os 5 mil euros», frisou.

Quanto a potência, Ana Vaz, disse que o protótipo desenvolve uma potência de 13,6cv numa utilização normal, podendo atingir picos de 28cv em utilização «mais intensa».

Em termos de autonomia, esta Scooter com a bateria completa, a autonomia varia entre os 70 km «em utilização mais aguerrida, com muitas subidas e descidas e os 140 km em utilização económica», segundo Ana Vaz.

Booking.com
  • elpontinho

    A ideia é boa e em tempos de crise e com o petróleo a subir todos os dias, é uma boa solução. Agora se tiverem o mesmo raciocínio dos criadores do Vinci GT será mais um projecto falhado.

    • carlos dantas

      Certamente será mais um projeto falhado, ao preço pedido ninguém no seu perfeito juizo vai comprar, falta coragem e menos ganância por dinheiro para colocarem uma coisa dessas pelo preço justo, continuaremos a fazer FUMO e RUIDO até que um dia alguém com consciência resolva vender milhões de Scooter ou Carros por um preço inferior aos dos combustiveis fósseis

  • carlos dantas

    Bom dia,

    Belissima ideia temos sobre tudo que é deslocarmo-nos com uma energia não poluente.

    Agora estragam tudo quando pedem 5.000 euros por um objeto que na produção sai por menos de 1.000 o mesmo se passa com os carros eletricos o que eu penso ser um autêntico roubo, queremos um ambiente melhor mas pedem-nos fortunas para o ter e nada mais digo,

  • Ramos

    Constroem sempre com o intuito de ganhar prémios e de serem mais tarde convidados por empresas estrangeiras e nunca constroem em termos de produção em série(com 5mil eur de preço nem conseguiriam tão pouco) portanto para o país isto vale ZERO

  • Joaquim Almeida

    100% Portuguesa não será um bocado exagerado? A scooter de base é chinesa e a gasolina. Trata-se de uma conversão para eléctrica.

    O Vinci GT também era um Chevrolet Corvette com uma casca diferente de fibra de vidro por fora.

    • carlos dantas

      Eu bem digo e não me engano, Chinesa adaptada e 5.000 EUROS, exploradores e gatunos aprendem com o governo a roubar.
      Isto sai de lá ao KILO não á unidade, seja uma coisa destas sai de lá por menos de 200€ aqui metem umas baterias e um motor electrico de tirar agua dos poços mais 300€… seja 500€, depois eles acrescentam mais 1 ZERO já está, preço final 5.000 ROUBOS…

      O amigo RAMOS tem razão, ISTO VALE ZERO…

  • ze povinho

    Ah, tb tem um tabletezeco de € 40 ou € 50,00…:)) Ou será um extra???