Estradas feitas de plástico, acredita?

Estradas feitas de plástico, acredita?

Estradas feitas de plástico, acredita? É mesmo verdade e são os holandeses vão experimentar esta solução.

É uma empresa holandesa que está a testar esta solução, revelando que é mais resistente, duradoura e ecológica para pavimentar estradas e a cidade de Roterdão já demonstrou interesse em experimentar.

Depois do artista Holandês Daan Roosegaarde ter criado marcas rodoviárias luminosas sem recurso a energia eléctrica, utilizando um pó especial luminescente, a empresa holandesa VolkerWessels revelou recentemente os planos para um pavimento feito inteiramente por garrafas de plástico. A VolkerWessels afirma que com esta inovação as estradas vão necessitar de menor manutenção do que com o asfalto e que poderão aguentar temperaturas mais extremas, desde 40 graus negativos até aos 80 graus positivos.

Outra questão relacionada com esta nova tecnologia, desde que ela realmente funcione, prende-se com o tempo que se vai ganhar na construção de estradas. Uma vez que, o período de construção das estradas vai poder passar para apenas semanas – e não meses como até agora. A empresa garante ainda que vão durar mais três vezes do que as estradas actuais.

Com esta nova tecnologia a Holanda pode tornar-se no primeiro país a pavimentar as estradas do país com garrafas de plástico. O presidente da Câmara de Roterdão já considerou que este tipo de solução pode ser uma alternativa “verde” ao que já existe.

Para a empresa holandesa VolkerWessels, os argumentos ecológicos são muito válidos, isto porque, asfalto é responsável pela emissão de 1,6 milhões de toneladas de CO2 por ano – ou seja, 2% da poluição de que os transportes são responsáveis.

O director da subdivisão de estradas VolkerWessels, Rolf Mars, citado pelo jornal britânico “The Guardian”, disse que o “plástico oferece todo o tipo de vantagens comparativamente com os materiais com que actualmente as estradas são feitas, não só na construção como na manutenção”.

Mars diz que o projecto “Estradas de Plástico” está ainda numa fase conceptual, mas a empresa acredita que pode ser uma realidade dentro de três anos. Roterdão já manifestou o interesse em testar a tecnologia.

Rolf Mars terminou dizendo, “Ainda é uma ideia no papel neste momento, mas o próximo passo será construir um modelo e testá-lo no laboratório para ter a certeza de que é seguro em condições de piso seco e molhado”.

Booking.com