Comércio Automóvel está de Luto

Comércio Automóvel está de Luto

Portugal país pacato e seguro já faz parte de um passado longínquo, actualmente é bem perigoso. Infelizmente não pudemos contar com as nossas autoridades, ou agentes de autoridade. Estas são treinadas para passar umas multas e coisas semelhantes.

Envolverem-se nestes tipo de conflitos, com o objectivo de impor a paz e segurança, não deve constar nos seus estatutos profissionais.
Sabemos que os criminosos não costumam avisar a polícia de quando é que vão atacar, mas a polícia devia centrar mais atenção neste tipo de crime que tem vindo aumentar.

Também fazemos referência, que a nossa lei não ajuda, nem os cidadão cumpridores nem a polícia, aliás se estivéssemos no lugar da mesma, provavelmente nada faríamos, pois passado algumas horas, o criminoso está cá fora, pronto para atacar novamente.

O que se quer dizer é, não há segurança, nem lei que a faça haver.

Hoje o comércio de automóveis usados está de luto, pois aconteceu ao “Standkar” empresa que comercializa carros usados,   com sede em Amares, vila que se situa no distrito de Braga, mas poderia ter sido a qualquer outro empresário do sector.

Segundo notícia avançada pelo JN, o dono do stand foi baleado enquanto fazia um test drive, com o suposto cliente.

Por acaso o dono do “StandKar” foi baleado de raspão, mas se tivesse sido abatido, como é que iria ser? Como é que ficaria a sua família? Quem é que pagaria pelos danos?

Não ia ser certamente o criminoso, pois dinheiro deve ser coisa que não tem. Mas não é uma questão de dinheiro, mas sim uma questão de segurança. Hoje em dia qualquer pessoa que tenha um negócio está sempre em sobressalto, a ver o dia em que alguém lhe vai apontar uma arma para o roubar e quem sabe até matar.

Lamentamos o que aconteceu ao “Standkar” e desejamos rápidas melhoras, chamamos atenção para os senhores legisladores, para a criação de uma lei muito mais dura para este tipo de crimes.

“Alvejou dono de stande mas acabou detido

O proprietário de um stande de automóveis de Amares foi baleado, ontem à tarde, terça-feira, quando procedia a uma volta de demonstração do carro, com o alegado agressor. Duas horas depois, o falso cliente, de 28 anos, foi detido.

José Mário Faria Sousa, de 38 anos, foi atingido de raspão, no rosto, cerca das 16 horas de ontem, quando procedia à demonstração de uma viatura a um indivíduo que se fez passar por comprador.

O proprietário do “Standkar”, situado em Figueiredo, às portas de Amares, foi mostrar as potencialidades do Alfa Romeu ao “cliente”, mas este viria a revelar outras intenções que não passavam por desembolsar os 23 mil euros pedidos pela viatura. “O sujeito esteve cá de manhã, a ver o carro e a pedir informações. Queria dar uma volta, mas como não estava o patrão desistiu. Queria que fosse o patrão a dar a volta de teste com ele”, disse um funcionário do stande.

Cerca das 16 horas, o indivíduo regressou. Já José Sousa estava no local e acompanhou-o. O “comprador” conduziu o carro até Dornelas (a cerca de dois quilómetros do estabelecimento), onde parou, alegadamente para fazer um telefonema.”

Foi então, quando José Mário passou para o lugar do condutor, preparando a viagem de regresso, que o indivíduo puxou de uma pistola (6,35 milímetros) e, ainda fora do carro e disparou. José Sousa retraiu-se no banco, acabando por ser atingido, de raspão, na face e no nariz.

“O sujeito pôs-se em fuga e o José \[Sousa] regressou ao stand, mas, mesmo a sangrar, queria encetar uma perseguição ao indivíduo”, disse um amigo da vítima. Sousa acabou por ser assistido, no local, pelo INEM, e transportado ao Hospital de S. Marcos, em Braga, de onde teve alta, ao final da tarde. Foi depois ouvido no posto da GNR de Amares.

Mediante a descrição feita às autoridades, o agressor acabou por ser detido duas horas após o incidente. “Trata-se de um indivíduo de 28 anos, residente na zona \[Vieira do Minho] que foi detido e entregue à Polícia Judiciária” (PJ), disse fonte da GNR.

No stand, a chegada dos inspectores da PJ captou as atenções, tendo-se concentrado muita gente que ia trocando informações. “O carro em que andava o indivíduo já tinha sido visto por aqui muitas vezes. É um Corsa com aspecto de ‘tuning’. Dizem que já tentou fazer o mesmo na Póvoa de Lanhoso”, dizia um amigo do proprietário do stande. Para um antigo funcionário do “Standakar” esta foi “a primeira vez que algo de anormal aconteceu. Tantas vezes fui eu mostrar carros a clientes e nunca aconteceu nada”. “

Debata este artigo no nosso fórum – Carroo.Org

 

Booking.com